Emergências
Beiragás
800 508 800
+
Dianagás
800 020 039
+
Duriensegás
800 209 999
+
Lisboagás
800 201 722
+
Lusitaniagás
800 200 157
+
Medigás
800 500 063
+
Paxgás
800 020 041
+
Setgás
800 273 030
+
Saiba mais

História

A História da Distribuição de Gás Natural está associada à sua descoberta e à necessidade da sua comercialização.

A atividade da distribuição de gás em Portugal deu os primeiros passos no século XIX, quando se iniciou o abastecimento de gás para efeitos de iluminação pública em Lisboa.

No final da década de 80 do seculo XX surgem os primeiros estudos para a introdução do gás natural em Portugal, o que acontece em 1997, dando-se início a uma nova fase do negócio da distribuição.

No ano de 2006 surge a liberalização e com ela as regras do funcionamento do Sistema Nacional de Gás Natural (SNGN) e ao exercício das respectivas atividades.

No modelo atual, a Distribuição é efetuada através da exploração da rede pública de gás natural, que é exercida através de concessões ou licenças de serviço público.

2020
Em 2014
A empresa GGNd - Galp Gás Natural Distribuição passa a gerir todos os negócios e atividades da distribuição de gás natural pertencentes aos Operadores de Rede de Distribuição do Grupo Galp Energia
1 de Janeiro de 2010
Liberalização da comercialização do Gás Natural acessível a todos os consumidores portugueses
2010
1 de Janeiro de 2009
Liberalização da comercialização do Gás Natural para clientes com consumos superiores a 10 mil m3 por ano
Em 2008
Tem início o fornecimento de gás natural à PaxGás (Beja)
1 de Janeiro de 2008
Liberalização da comercialização do Gás Natural para clientes com consumos superiores a 1 milhão de m3 por ano
1 de Janeiro de 2007
Liberalização da comercialização do Gás Natural para produtores de electricidade em regime ordinário
26 de Julho 2006
Tem início o processo de liberalização da comercialização do Gás Natural (DL nº 140/2006 de 26 de Julho).
15 de Fevereiro 2006
Tem início o processo de unbundling, correspondente à separação dos ativos de transporte e distribuição de gás natural  (DL nº30/2006, de 15 de Fevereiro)
Em 2004
A 18 de Novembro tem início a injecção de gás natural para uma caverna - armazenagem subterrânea localizada em Pombal (Carriço)
4 de Novembro de 2003
Efectua-se a primeira emissão de gás natural via Terminal de Sines
26 de Outubro de 2003
Ocorre a chegada do primeiro navio metaneiro de GNL (gás natural liquefeito) ao terminal de Sines.
9 de Janeiro de 2002
Tem ínicio o fornecimento de gás natural à Dianagás (Évora)
7 de Setembro de 2001
Tem ínicio o fornecimento de gás natural à Tagusgás (Asseiceira)
1 de Fevereiro de 2001
Tem ínicio o fornecimento de gás natural à Medigás (Olhão)
7 de Abril de 2000
Tem início o fornecimento de gás natural à Duriensegás (Chaves)
23 de Fevereiro de 2000
É efetuada a primeira descarga de GNL na Unidade Autónoma de Gás Natural Liquefeito, em Chaves
1 de Fevereiro de 2000
Tem início o fornecimento de gás natural à Beiragás (Mortágua)
2000
De 1999 a 2001
A Lisboagás realiza a Operação de Mudança de Gás, nos concelhos anteriormente abastecidos com gás de cidade (Lisboa, Oeiras, Amadora e Loures)
13 de Dezembro de 1999
São constituídas a “Dianagás – Sociedade Distribuidora de Gás Natural de Évora, SA”, a “Duriensegás – Sociedade Distribuidora de Gás Natural do Douro, SA”, a “Medigás – Sociedade Distribuidora de Gás Natural do Algarve, SA” e a “Paxgás – Sociedade Distribuidora de Gás Natural de Beja, SA”
22 de Janeiro de 1999
É constituída a “Beiragás – Companhia de Gás das Beiras, SA”
3 de Março de 1998
O gás natural chega à fronteira norte portuguesa (Valença do Minho)
2 de Abril de 1998
É efetuado o primeiro enchimento do troço do gasoduto espanhol (saída de gás natural)
De Abril a Setembro de 1997
Arranque da distribuição generalizada de gás natural com fornecimento: à Portgás (Porto), em 21 de Abril; ao primeiro cliente industrial (Auto Europa), em 10 de Maio; à Setgás (Setúbal), em 2 de Julho; à Lusitaniagás (Ovar), em 23 de Julho e à Lisboagás (Lisboa), em 21 de Setembro.
6 de Fevereiro de 1997
Constituída a “Tagusgás – Empresa de Gás do Vale do Tejo, SA”
31 de Janeiro de 1997
Concretiza-se a entrada de gás natural na fronteira este portuguesa (Campo Maior)
1 de Julho de 1995
É constituída a “Lisboagás GDL – Sociedade Distribuidora de Gás Natural de Lisboa, SA”
Em 1995
É constituída a holding “GDP – Gás de Portugal, SGPS, SA” congregando as participações em todas as concessionárias de Distribuição de Gás Natural.
Em 1993
É constituída a Transgás e assinado o contrato de concessão para o transporte de Gás Natural em Portugal em regime de alta pressão
30 de Janeiro de 1992
É constituída a “Lusitaniagás – Companhia de Gás do Centro, SA”
26 de Janeiro de 1990
Constituída a “Setgás – Sociedade de Produção e Distribuição de Gás, SA”
1990
Em 1988
A empresa Gás de Portugal inicia os estudos para a introdução do Gás Natural em Portugal. 

Neste ano, a rede de distribuição de gás de Lisboa, que mais tarde seria convertida para Gás Natural, já tinha uma extensão superior a 1.000 km e alimentava mais de 200.000 clientes. Era a única rede de distribuição com grande dimensão existente no País.

De 1975 a 1988
As Companhias Reunidas Gás e Electricidade (CRGE) da região de Lisboa foram nacionalizadas e integradas na “Electricidade de Portugal” (EDP). 

A “Sociedade Portuguesa Petroquímica” parou a produção de amoníaco e foi nacionalizada, passando a designar-se “Petroquímica e Gás de Portugal, EP” (PGP), e mais tarde Gás de Portugal.

1970
Em 1966
Nesta altura, as CRGE tinham instalados 4 gasómetros com uma capacidade total de 200 000 m3 e 711,232 km de tubagem.
Em 1964
As CRGE passam a distribuir gás proveniente da “Sociedade Portuguesa de Petroquímica” (SPP)
1930
Em 1921
A Nova Central Tejo, na Junqueira, (atual museu da Electricidade) entra em serviço
1910
Em 1900
As CRGE firmaram contrato com a Câmara Municipal de Sintra para fornecimento de gás a Queluz e Belas (o preço por metro cúbico passa para 55 réis)
1900
Em 1899
As CRGE firmaram contratos com a Câmara Municipal de Cascais e com a Câmara Municipal de Oeiras, que incluía o atual concelho da Amadora (o preço do gás era então de 15 réis por metro cúbico para iluminação e 25 réis para a cozinha)
Em 1891
É constituída a “Companhias Reunidas de Gaz e Electricidade” (CRGE) a partir da fusão da “Companhia Gaz de Lisboa” e da “Companhia Lisbonense de Iluminação a Gaz”, sendo pela primeira vez atribuído o conceito de concessão. Nessa data estavam instalados 8175 bicos de gás que consumiram 4.934.161 metros cúbicos de gás.
1890
Em 1888
A “Sociedade de Gaz de Lisboa”, constituída um ano antes, conclui a sua nova fábrica de gás junto à Torre de Belém (em 1890 o preço por metro cúbico era de 323 réis)
1850
30 de Julho de 1848
Início da iluminação a gás de Lisboa: acendem-se 26 candeeiros a gás no dia 30 de Julho (em 1857 o preço por metro cúbico era de 70 réis)
Em 1846
Em Lisboa inicia-se a construção da fábrica da “Companhia Lisbonense de Iluminação a Gaz”, em terrenos alugados à Companhia do Pará e Maranhão, à Rua da Boavista
Em 1840

O Conde de Farrobo ilumina o seu palácio nas Laranjeiras com 10 candeeiros a gás.

Antes de 1840
Os registos mais antigos conhecidos sobre o Gás Natural referem a sua descoberta há vários séculos na China e mais tarde também Europa. Começou a ser utilizado a partir do século XIX nos Estados Unidos, inicialmente apenas para a iluminação. 
2020
Em 2014
A empresa GGNd - Galp Gás Natural Distribuição passa a gerir todos os negócios e atividades da distribuição de gás natural pertencentes aos Operadores de Rede de Distribuição do Grupo Galp Energia
1 de Janeiro de 2010
Liberalização da comercialização do Gás Natural acessível a todos os consumidores portugueses
2010
1 de Janeiro de 2009
Liberalização da comercialização do Gás Natural para clientes com consumos superiores a 10 mil m3 por ano
Em 2008
Tem início o fornecimento de gás natural à PaxGás (Beja)
1 de Janeiro de 2008
Liberalização da comercialização do Gás Natural para clientes com consumos superiores a 1 milhão de m3 por ano
1 de Janeiro de 2007
Liberalização da comercialização do Gás Natural para produtores de electricidade em regime ordinário
26 de Julho 2006
Tem início o processo de liberalização da comercialização do Gás Natural (DL nº 140/2006 de 26 de Julho).
15 de Fevereiro 2006
Tem início o processo de unbundling, correspondente à separação dos ativos de transporte e distribuição de gás natural  (DL nº30/2006, de 15 de Fevereiro)
Em 2004
A 18 de Novembro tem início a injecção de gás natural para uma caverna - armazenagem subterrânea localizada em Pombal (Carriço)
4 de Novembro de 2003
Efectua-se a primeira emissão de gás natural via Terminal de Sines
26 de Outubro de 2003
Ocorre a chegada do primeiro navio metaneiro de GNL (gás natural liquefeito) ao terminal de Sines.
9 de Janeiro de 2002
Tem ínicio o fornecimento de gás natural à Dianagás (Évora)
7 de Setembro de 2001
Tem ínicio o fornecimento de gás natural à Tagusgás (Asseiceira)
1 de Fevereiro de 2001
Tem ínicio o fornecimento de gás natural à Medigás (Olhão)
7 de Abril de 2000
Tem início o fornecimento de gás natural à Duriensegás (Chaves)
23 de Fevereiro de 2000
É efetuada a primeira descarga de GNL na Unidade Autónoma de Gás Natural Liquefeito, em Chaves
1 de Fevereiro de 2000
Tem início o fornecimento de gás natural à Beiragás (Mortágua)
2000
De 1999 a 2001
A Lisboagás realiza a Operação de Mudança de Gás, nos concelhos anteriormente abastecidos com gás de cidade (Lisboa, Oeiras, Amadora e Loures)
13 de Dezembro de 1999
São constituídas a “Dianagás – Sociedade Distribuidora de Gás Natural de Évora, SA”, a “Duriensegás – Sociedade Distribuidora de Gás Natural do Douro, SA”, a “Medigás – Sociedade Distribuidora de Gás Natural do Algarve, SA” e a “Paxgás – Sociedade Distribuidora de Gás Natural de Beja, SA”
22 de Janeiro de 1999
É constituída a “Beiragás – Companhia de Gás das Beiras, SA”
3 de Março de 1998
O gás natural chega à fronteira norte portuguesa (Valença do Minho)
2 de Abril de 1998
É efetuado o primeiro enchimento do troço do gasoduto espanhol (saída de gás natural)
De Abril a Setembro de 1997
Arranque da distribuição generalizada de gás natural com fornecimento: à Portgás (Porto), em 21 de Abril; ao primeiro cliente industrial (Auto Europa), em 10 de Maio; à Setgás (Setúbal), em 2 de Julho; à Lusitaniagás (Ovar), em 23 de Julho e à Lisboagás (Lisboa), em 21 de Setembro.
6 de Fevereiro de 1997
Constituída a “Tagusgás – Empresa de Gás do Vale do Tejo, SA”
31 de Janeiro de 1997
Concretiza-se a entrada de gás natural na fronteira este portuguesa (Campo Maior)
1 de Julho de 1995
É constituída a “Lisboagás GDL – Sociedade Distribuidora de Gás Natural de Lisboa, SA”
Em 1995
É constituída a holding “GDP – Gás de Portugal, SGPS, SA” congregando as participações em todas as concessionárias de Distribuição de Gás Natural.
Em 1993
É constituída a Transgás e assinado o contrato de concessão para o transporte de Gás Natural em Portugal em regime de alta pressão
30 de Janeiro de 1992
É constituída a “Lusitaniagás – Companhia de Gás do Centro, SA”
26 de Janeiro de 1990
Constituída a “Setgás – Sociedade de Produção e Distribuição de Gás, SA”
1990
Em 1988
A empresa Gás de Portugal inicia os estudos para a introdução do Gás Natural em Portugal. 

Neste ano, a rede de distribuição de gás de Lisboa, que mais tarde seria convertida para Gás Natural, já tinha uma extensão superior a 1.000 km e alimentava mais de 200.000 clientes. Era a única rede de distribuição com grande dimensão existente no País.

De 1975 a 1988
As Companhias Reunidas Gás e Electricidade (CRGE) da região de Lisboa foram nacionalizadas e integradas na “Electricidade de Portugal” (EDP). 

A “Sociedade Portuguesa Petroquímica” parou a produção de amoníaco e foi nacionalizada, passando a designar-se “Petroquímica e Gás de Portugal, EP” (PGP), e mais tarde Gás de Portugal.

1970
Em 1966
Nesta altura, as CRGE tinham instalados 4 gasómetros com uma capacidade total de 200 000 m3 e 711,232 km de tubagem.
Em 1964
As CRGE passam a distribuir gás proveniente da “Sociedade Portuguesa de Petroquímica” (SPP)
1930
Em 1921
A Nova Central Tejo, na Junqueira, (atual museu da Electricidade) entra em serviço
1910
Em 1900
As CRGE firmaram contrato com a Câmara Municipal de Sintra para fornecimento de gás a Queluz e Belas (o preço por metro cúbico passa para 55 réis)
1900
Em 1899
As CRGE firmaram contratos com a Câmara Municipal de Cascais e com a Câmara Municipal de Oeiras, que incluía o atual concelho da Amadora (o preço do gás era então de 15 réis por metro cúbico para iluminação e 25 réis para a cozinha)
Em 1891
É constituída a “Companhias Reunidas de Gaz e Electricidade” (CRGE) a partir da fusão da “Companhia Gaz de Lisboa” e da “Companhia Lisbonense de Iluminação a Gaz”, sendo pela primeira vez atribuído o conceito de concessão. Nessa data estavam instalados 8175 bicos de gás que consumiram 4.934.161 metros cúbicos de gás.
1890
Em 1888
A “Sociedade de Gaz de Lisboa”, constituída um ano antes, conclui a sua nova fábrica de gás junto à Torre de Belém (em 1890 o preço por metro cúbico era de 323 réis)
1850
30 de Julho de 1848
Início da iluminação a gás de Lisboa: acendem-se 26 candeeiros a gás no dia 30 de Julho (em 1857 o preço por metro cúbico era de 70 réis)
Em 1846
Em Lisboa inicia-se a construção da fábrica da “Companhia Lisbonense de Iluminação a Gaz”, em terrenos alugados à Companhia do Pará e Maranhão, à Rua da Boavista
Em 1840

O Conde de Farrobo ilumina o seu palácio nas Laranjeiras com 10 candeeiros a gás.

Antes de 1840
Os registos mais antigos conhecidos sobre o Gás Natural referem a sua descoberta há vários séculos na China e mais tarde também Europa. Começou a ser utilizado a partir do século XIX nos Estados Unidos, inicialmente apenas para a iluminação. 
Operadores GN