Emergências
Beiragás
800 508 800
+
Dianagás
800 020 039
+
Duriensegás
800 209 999
+
Lisboagás
800 201 722
+
Lusitaniagás
800 200 157
+
Medigás
800 500 063
+
Paxgás
800 020 041
+
Setgás
800 273 030
+
Saiba mais

Já tenho rede interior de gás natural

O abastecimento de Gás Natural a Clientes com consumos até 10.000 m3/ano pressupõe a existência de uma instalação interior preparada para levar o Gás Natural desde a entrada do imóvel até aos aparelhos de queima. Os requisitos de ligação de gás associados a quem já tem uma rede interna de gás variam de acordo com o tipo de imóvel.

 Prédio com infraestrutura de gás propano canalizado

Em prédios onde já existe rede de gás canalizado, poderá haver a possibilidade desta ser reconvertida para Gás Natural.

Para efetuar esta adaptação, serão necessários os seguintes passos:

01
    • Uma empresa credenciada analisará a possibilidade de reconversão
    • É necessária autorização do condomínio
    • Os trabalhos de reconversão da rede interior têm de ser efetuados por uma empresa instaladora credenciada, que emitirá um termo de responsabilidade
    • No caso da rede existente estar em funcionamento com gás propano, será necessário desvincular-se do atual distribuidor
    • É necessário identificar os aparelhos de gás a converter
    • Serão convertidos para gás natural os aparelhos do tipo multi-gás
    • A inspeção terá de ser efetuada por uma empresa inspetora credenciada
    • Os ensaios vão garantir a verificação da conformidade técnica da instalação
    • Após aprovação, entidade inspetora emitirá um certificado de inspeção
    • Compete ao Operador de Rede de Distribuição (ORD) criar este código, que passará a identificar, de forma inequívoca, a instalação de gás do Cliente no Sistema Nacional de Gás Natural (SNGN)
    • O CUI só é criado quando a instalação existente está em conformidade e apta para ser abastecida
    • O abastecimento de gás pressupõe a contratação do mesmo junto a uma empresa comercializadora à escolha do Cliente
    • A contratualização só pode ser efetuada quando existe um CUI
    • O Cliente acordará com o comercializador a data e hora que pretende para a ligação de gás
    • O comercializador comunicará ao operador de rede o agendamento acordado
    • O operador de rede efetuará a montagem do contador no ponto de consumo do Cliente na data e hora prevista
    • A inspeção será executada por uma empresa inspetora credenciada
    • Compete ao Cliente escolher e contratar o serviço de inspeção
    • O Cliente deve ter em atenção que:
      • o local tem de possuir água e luz;
      • os aparelhos de gás têm de estar ligados à instalação;
      • os sistemas de exaustão e ventilação devem estar aptos a ser testados
      • no caso de dispor de uma instalação de aquecimento central, é recomendável que esteja em condição de funcionar, de modo a ser possível inspecionar a caldeira no modo de aquecimento de ambiente.
    • Após aprovação dos ensaios à instalação e ao funcionamento dos aparelhos, será emitido um certificado de inspeção pela entidade inspetora
    • Com a inspeção aprovada, inicia-se o fornecimento de gás.
    • É recolhida a leitura do contador
    • O Cliente começa a usufruir do serviço e passa a ser responsável pela utilização do gás natural no seu local de consumo

 Prédio novo com infraestrutura de gás

Em imóvel novo com infraestrutura de rede interna já preparada para gás natural, mas ainda sem ligação à rede externa, será necessário o seguinte:
01
    • A solicitação deverá ser efetuada preferencialmente pelo promotor ou construtor do imóvel
    • A construção do ramal pelo ORD pressupõe a existência de viabilidade junto da entidade que tutela o domínio público (Câmaras Municipais, IEP, entre outros)
    • O promotor ou construtor tem de entregar ao ORD a documentação que ateste a conformidade técnica da rede de gás interior (termo de responsabilidade da empresa instaladora e certificado de inspeção da empresa inspetora)
    • Após estes passos, procede-se à introdução de Gás Natural na parte comum do imóvel
    • Compete ao ORD criar este código, que passará a identificar, de forma inequívoca, a instalação de gás do Cliente no Sistema Nacional de Gás Natural (SNGN)
    • O CUI só é criado quando a instalação existente está em conformidade e apta para ser abastecida
    • O abastecimento de gás pressupõe a contratação do mesmo junto a uma empresa comercializadora à escolha do Cliente
    • A contratualização só pode ser efetuada quando existe um CUI
    • O Cliente acordará com o comercializador a data e hora que pretende para a ligação de gás
    • O comercializador comunicará ao operador de rede o agendamento acordado
    • O operador de rede efetuará a montagem do contador no ponto de consumo do Cliente na data e hora prevista
    • A inspeção será executada por uma empresa inspetora credenciada
    • Compete ao Cliente escolher e contratar o serviço de inspeção
    • O Cliente deve ter em atenção que:
      • o local tem de possuir água e luz;
      • os aparelhos de gás têm de estar ligados à instalação;
      • os sistemas de exaustão e ventilação devem estar aptos a ser testados
      • no caso de dispor de uma instalação de aquecimento central, é recomendável que esteja em condição de funcionar, de modo a ser possível inspecionar a caldeira no modo de aquecimento de ambiente.
    • Após aprovação dos ensaios à instalação e ao funcionamento dos aparelhos, será emitido um certificado de inspeção pela entidade inspetora
    • Com a inspeção aprovada, inicia-se o fornecimento de gás.
    • É recolhida a leitura do contador
    • O Cliente começa a usufruir do serviço e passa a ser responsável pela utilização do gás natural no seu local de consumo

 Moradia nova com infraestrutura de gás

Em moradia nova com infraestrutura de rede interna já preparada para gás natural, mas ainda sem ligação à rede de distribuição, serão necessários os seguintes passos:
01
    • Esta solicitação deverá ser efetuada pelo promotor, construtor ou pelo próprio proprietário do imóvel
    • A construção do ramal pelo ORD pressupõe a existência de viabilidade junto da entidade que tutela o domínio público (Câmaras Municipais, IEP, entre outros)
    • O promotor, construtor ou proprietário tem de entregar ao ORD a documentação que ateste a conformidade técnica da rede de gás interior (termo de responsabilidade da empresa instaladora e certificado de inspeção da empresa inspetora)
    • Compete ao ORD criar este código, que passará a identificar, de forma inequívoca, a instalação de gás do Cliente no Sistema Nacional de Gás Natural (SNGN)
    • O CUI só é criado quando a instalação existente está em conformidade e apta para ser abastecida
    • O abastecimento de gás pressupõe a contratação do mesmo junto a uma empresa comercializadora à escolha do Cliente
    • A contratualização só pode ser efetuada quando existe um CUI
    • O Cliente acordará com o comercializador a data e hora que pretende para a ligação de gás
    • O comercializador comunicará ao operador de rede o agendamento acordado
    • O operador de rede efetuará a montagem do contador no ponto de consumo do Cliente na data e hora prevista
    • A inspeção será executada por uma empresa inspetora credenciada
    • Compete ao cliente escolher e contratar o serviço de inspeção
    • O Cliente deve ter em atenção que:
      • o local tem de possuir água e luz;
      • os aparelhos de gás têm de estar ligados à instalação;
      • os sistemas de exaustão e ventilação devem estar aptos a ser testados;
      • no caso de dispor de uma instalação de aquecimento central, é recomendável que esteja em condição de funcionar, de modo a ser possível inspecionar a caldeira no modo de aquecimento de ambiente.
    • Após aprovação dos ensaios à instalação e ao funcionamento dos aparelhos, será emitido um certificado de inspeção pela entidade inspetora
    • Com a inspeção aprovada, inicia-se o fornecimento de gás.
    • É recolhida a leitura do contador
    • O Cliente começa a usufruir do serviço e passa a ser responsável pela utilização do gás natural no seu local de consumo

 Estabelecimento comercial com infraestrutura de gás

Num estabelecimento comercial ou industrial (cujo consumo de gás anual seja menor que 10.000m3) com infraestrutura de rede interna já preparada para gás, mas ainda sem ligação à rede externa, será necessário seguir este processo:
01
    • Será preciso analisar a adequabilidade da rede existente para Gás Natural (esta análise deverá ser feita por uma empresa credenciada)
    • Caso sejam necessárias adaptações, as mesmas terão que ser executadas por uma empresa credenciada
    • Se a rede existente estiver em serviço, será necessário desvincular-se do respetivo distribuidor
    • Esta solicitação deverá ser efetuada pelo proprietário do imóvel
    • A construção do ramal pela ORD pressupõe a existência de viabilidade junto da entidade que tutela o domínio público (Câmaras Municipais, IEP, entre outros)
    • O proprietário tem de entregar ao ORD a documentação que ateste a conformidade técnica da rede de gás interior (termo de responsabilidade da empresa instaladora e certificado de inspeção da empresa inspetora)
    • Compete ao ORD criar este código, que passará a identificar, de forma inequívoca, a instalação de gás do Cliente no Sistema Nacional de Gás Natural (SNGN)
    • O CUI só é criado quando a instalação existente está em conformidade e apta para ser abastecida
    • O abastecimento de gás pressupõe a contratação do mesmo junto a uma empresa comercializadora à escolha do Cliente
    • A contratualização só pode ser efetuada quando existe um CUI
    • O Cliente acordará com o comercializador a data e hora que pretende para a ligação de gás
    • O comercializador comunicará ao operador de rede o agendamento acordado
    • O operador de rede efetuará a montagem do contador no ponto de consumo do Cliente na data e hora prevista
    • A inspeção será executada por uma empresa inspetora credenciada
    • Compete ao Cliente escolher e contratar o serviço de inspeção
    • O Cliente deve ter em atenção que:
      • o local tem de possuir água e luz;
      • os aparelhos de gás têm de estar ligados à instalação;
      • os sistemas de exaustão e ventilação devem estar aptos a ser testados;
      • no caso de dispor de uma instalação de aquecimento central, é recomendável que esteja em condição de funcionar, de modo a ser possível inspecionar a caldeira no modo de aquecimento de ambiente.
    • Após aprovação dos ensaios à instalação e ao funcionamento dos aparelhos, será emitido um certificado de inspeção pela entidade inspetora
    • Com a inspeção aprovada, inicia-se o fornecimento de gás.
    • É recolhida a leitura do contador
    • O Cliente começa a usufruir do serviço e passa a ser responsável pela utilização do gás natural no seu local de consumo
Operadores GN